Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Português em movimento

O Blogue de Português do 2º ciclo da E. B. Lousada Centro

Português em movimento

O Blogue de Português do 2º ciclo da E. B. Lousada Centro

S. Martinho

76747352_2426533450728817_7548355845344460800_o.jp

  

O São Martinho na nossa escola

Ontem, dia 13 de novembro, na Escola E. B. Lousada Centro, realizou-se a feira de S.Martinho.

 A escola abriu às 8:30 como o costume e os alunos puderam começar a fazer as compras. Mais tarde, às 10:00, a feira foi aberta a todos os familiares dos alunos e, no fim, houve um almoço convívio.

Durante a manhã foram oferecidas castanhas assadas.

A feira tinha várias bancas: dos doces, das flores, dos legumes, dos brinquedos, das rifas e dos sabões.

Os nossos professores, funcionários, com ajuda dos alunos, eram os responsáveis pela venda dos vários produtos existentes nas bancas.

Nós ajudamos e divertimo-nos muito!

Lara Margarida, 5ºD

73302967_2426534037395425_6820573173180792832_o.jp73381273_2426534957395333_5379530779728543744_o.jp

70432968_2426535200728642_1588008546459451392_o.jp76778184_2426533460728816_6062068441035046912_o.jp

 

 

 

Ontem, dia 13 de Novembro, começou às 8.30h para nós e às 10.00h para os pais, na escola EBLC ,a Feira de São Martinho.

A feira tinha várias bancas: a banca dos bolos onde estavam as funcionárias, a banca das flores e catos do professor Gustavo (o nosso professor de matemática), a banca dos legumes e mercearia do professor Rangel, a banca das rifas das professoras Pina e Conceição (professoras do Apoio), a banca das tralhas e brinquedos do professor Eliseu (nosso diretor de turma), a banca dos vasos da professora Paula (professora de E.V e E.T.) e do professor Leandro e a banca dos cachorros do 9ºA e ainda outras bancas mais pequenas.

Nós ajudamos o professor Gustavo na barraca das plantas e catos.

A feira foi muito divertida!

Samuel, 5ºD

   

74604756_2426534464062049_1727828818778914816_o.jp 75625383_2426534937395335_3612571059376619520_o.jp

75266277_2426534790728683_7408366368493404160_o.jp 76995727_2426533887395440_2873846640198811648_o.jp

 

 

    No dia 13 de novembro de 2019 realizou-se a feira de S. Martinho na Escola Básica Lousada Centro. Havia velharias, brinquedos, flores, cachorros quentes, crepes, gomas, vegetais, muitas castanhas e sumos.

     O Marcelo comprou um jarro e um cachorro quente e jogou matraquilhos com o seu primo Rúben.

     A Carla comprou três jarros, dois carrinhos, cinco bonecas, duas peças decorativas, um livro, um peluche, dois sabonetes, uma goma, uma espetada de gomas e um cachorro quente e ajudou o professor Gustavo na sua banca.

     O Miguel comprou dois catos, dois sabonetes e uma bola de ténis. Também ajudou o professor Gustavo.

    Os três alunos desta maravilhosa escola adoraram a feira de S. Martinho.

Miguel, Carla e Marcelo, 5º D

 

75258611_2426535060728656_3465052646589595648_o.jp

 

 

 

LER LOUSADA 2019

Ler.png

 

Foram entregues, no passado dia 10 de maio, os prémios relativos ao IV Concurso Literário Ler Lousada.

A cerimónia decorreu no Auditório Municipal e contou com a presença dos escritores José Fanha e António Mota

Parabéns aos vencedores da nossa escola: Pedro Lucas (6º D), Lara Pinto (6º F) e Leonor Ribeiro (6º E)!

59774321_426512744749186_4190912513434451968_n.jpg

59806509_269365620511821_333979757903347712_n.jpg

 

60079610_585939151898053_2254357921976549376_n.jpg59755985_2431356207110459_5556391197901062144_n.jp

 

59997151_2220542148256787_1369705937308221440_n.jp

60008626_475454283204548_934189884057321472_n.jpg59849298_458986321505081_4269619292372205568_n.jpg

59754644_616261715508837_5537056324581326848_n.jpg60181332_1166255106831568_3266989572604559360_n.jp

 

Sem Título.png

O TESOURO

Neste livro de Manuel António Pina, conta-se que há muitos anos, num país muito distante, vivia um povo infeliz, pois alguém lhes roubara o mais belo tesouro do mundo: A LIBERDADE.

Clica na imagem e poderás ler esta história...

tesouro-o-livro-pps-1-728.jpg

Esta história é verdadeira, aconteceu mesmo e cabe-nos a nós guardar bem este tesouro para que mais ninguém o volte a roubar.

 

23 de abril - Dia Mundial do Livro

 

A UNESCO instituiu em 1995 o Dia Mundial do Livro. A data foi escolhida por ser um dia importante para a literatura mundial - foi a 23 de abril de 1616 que faleceu Miguel de Cervantes e a 23 de abril de 1899 que nasceu Vladimir Nabokov. O dia 23 de abril é também recordado como o dia em que nasceu e morreu o famoso escritor inglês William Shakespeare.

A data serve ainda para chamar a atenção para a importância do livro como bem cultural, essencial para o desenvolvimento da literacia e para o desenvolvimento económico.

                 transferir.jpg

 

Trabalhos 5ºE - Completa a narrativa

 

UMA AVENTURA NUM CASTELO

 

      Um dia, eu e o meu amigo João fomos dar um passeio pelo campo. Estava um dia muito bonito, a relva estava brilhante e verdinha, os pássaros cantavam alegremente e o sol aquecia a paisagem, iluminando o topo das árvores. O João sentia-se feliz, correndo e saltando, embora fosse gordinho. Era um rapaz simpático e brincalhão e eu gostava muito dele, embora tivéssemos feitios diferentes. Eu sou mais rato de biblioteca, gosto de ficar em casa, com os meus livros e o meu computador.

     De repente, no cimo de uma colina, vimos um castelo.

     Aproximamo-nos e verificamos que parecia abandonado. As muralhas estavam cheias de musgo e faltavam pedras a toda a volta; a torre principal, porém, estava completa, pelo menos por fora.

     Resolvemos entrar para explorar o local, empurrando uma enorme porta de madeira que estava entreaberta e que dava para um imenso salão, coberto de pó e de teias de aranha.

     - Onde há teias, há aranhas! - gemeu o João, que não gostava nada daqueles bichos.

     - Não sejas medricas. - disse eu – Elas têm mais medo de nós, do que nós delas! Não queres descobrir os segredos do castelo?

     - Quero, pois, mas não gosto de andar em zonas tão escuras! Nunca se sabe o que se pode encontrar! - afirmou o João.

     De repente, como a confirmar as palavras dele, ouvimos um ruído arrepiante, que parecia o som de correntes a arrastarem-se pelo chão…

     Cheios de medo, fugimos para um canto. O barulho aproximava-se cada vez mais. O João disse:

     -Vamos embora! Estou cheio de medo!

     -Então vamos lá. – disse eu.

     Quando saímos, encontramos lá fora, a Rita. Ela disse:

     -Olá! Querem entrar comigo? Por favor, estou cheia de medo!

     -Está bem! Mas lá dentro ouvem-se uns ruídos muito estranhos! - disse eu.

     -Não faz mal! - disse a Rita.

     A Rita era muito corajosa mas, ao mesmo tempo, demasiado curiosa. Mas lá entrámos; já não se ouvia o barulho, por isso ficámos mais descansados. O João perguntou:

     -Vamos lá acima?

     -Está bem. - disse eu e a Rita também.

     Quando chegámos lá acima, começamos a ouvir o barulho, outra vez, e portas a abrir. Cheios de medo, andámos até encontrar e, depois de termos andado um bom bocado, encontramos finalmente o que fazia os barulhos.

     Era um jornalista que tinha ido ao castelo filmar para as notícias. Ele fez-nos uma entrevista e depois fomos dar um passeio pelo castelo.

     No dia seguinte, fomos almoçar os três e, pela primeira vez, nós aparecemos na televisão! Ficamos tão contentes! 

Todos os sábados, nós íamos ao parque para nos recordarmos daquele dia maravilhoso.

Leonor Fernandes, nº13

 

UMA AVENTURA NUM CASTELO

 

     Um dia, eu e o meu amigo João fomos dar um passeio pelo campo. Estava um dia muito bonito, a relva estava brilhante e verdinha, os pássaros cantavam alegremente e o sol aquecia a paisagem, iluminando o topo das árvores. O João sentia-se feliz, correndo e saltando, embora fosse gordinho. Era um rapaz simpático e brincalhão e eu gostava muito dele, embora tivéssemos feitios diferentes. Eu sou mais rato de biblioteca, gosto de ficar em casa, com os meus livros e o meu computador.
     De repente, no cimo de uma colina, vimos um castelo.
     Aproximamo-nos e verificamos que parecia abandonado. As muralhas estavam cheias de musgo e faltavam pedras a toda a volta; a torre principal, porém, estava completa, pelo menos por fora.
     Resolvemos entrar para explorar o local, empurrando uma enorme porta de madeira que estava entreaberta e que dava para um imenso salão, coberto de pó e de teias de aranha.
     - Onde há teias, há aranhas! - gemeu o João, que não gostava nada daqueles bichos.
     - Não sejas medricas. - disse eu – Elas têm mais medo de nós, do que nós delas! Não queres descobrir os segredos do castelo?
     - Quero, pois, mas não gosto de andar em zonas tão escuras! Nunca se sabe o que se pode encontrar! - afirmou o João.
     De repente, como a confirmar as palavras dele, ouvimos um ruído arrepiante, que parecia o som de correntes a arrastarem-se pelo chão…

        O João, apavorado, desatou a gritar. Eu confesso que também fiquei com medo, mas tinha de o enfrentar. Então, acalmei o João e ambos estávamos prontos para tudo o que acontecesse.

     De repente, ouvimos uma voz fina e baixa e, do nada, apareceu um fantasma branco como as nuvens e com olhos como o céu. Desta vez não ficamos com medo, mas sim espantados! Ele era mesmo bonito!!!!!

     - Olá visitantes! - exclamou o fantasma.

     - Olá fantasma! Adoramos o teu castelo! - disse eu.

     - Obrigado pelo elogio! Querem que vos faça uma visita guiada?

Desta vez foi o João a responder:

     - Sim! Ma... Mas não inclui a... aranhas, certo?

     - Não! Fica descansado – respondeu, carinhosamente, o fantasma.

     - Então? Do que é que estamos à espera para começar a visita? - perguntei eu.

     - Vamos! – responderam os outros.

    Quando começamos a visita, reparamos que o castelo tinha cores muito velhas, mobília antiga, quadros de pessoas, entre outras coisas. Era fascinante! O castelo era enorme!

      No fim da visita, eu e o João despedimo-nos do fantasma. No entanto, aquela despedida não era definitiva, pois combinámos entre os três que, todas as quartas-feiras, nos iriamos encontrar naquele castelo.

     Assim, tudo o que começou com uma simples aventura tornou-se uma verdadeira amizade para a vida!!!!!! 

Maria, nº 15