Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Português em movimento

O Blogue de Português do 2º ciclo da E. B. Lousada Centro

Português em movimento

O Blogue de Português do 2º ciclo da E. B. Lousada Centro

"Ulisses"

Ulisses.png

Dá continuidade ao episódio que abaixo se apresenta escrevendo um texto narrativo em que contes as aventuras vividas por Ulisses em Pilo.

 

O sol aparecera, quando o navio chegou a Pilo, onde vivia o rei Nestor. Era o homem mais velho do mundo. Reinara sobre três gerações, por mais de noventa anos, e mostrava-se ainda robusto e corajoso. Deu-se que naquele dia o povo estava oferecendo um sacrifício (1) a Posseidon, que é o deus do mar. Havia nove grupos com quinhentos homens cada um, e cada grupo imolava (2)  nove touros. O sacrifício havia terminado e estavam iniciando o banquete (…)

Homero, 1972, Odisseia (recontado por Marques Rebelo), abril Cultural

  1) oferenda, oferta

   2) matava, abatia

 

    O banquete estava a correr lindamente: todos estavam bem dispostos e os bois estavam deliciosos. A conversa estava animada e os habitantes de Pilo muito felizes, quando… BOUM… BOUM… BOUM… Ouviu-se alguém gritar: “Fujam! É um ciclope!”. Era Polifemo. Tinha-se zangado com Ulisses quando este o enganou e consultara uma feiticeira, irmã de Circe, Polora, que lhe devolvera a visão e agora este estava em Pilo para o comer!

    O pânico instalara-se: crianças choravam, mulheres gritavam e alguns homens combatiam, enquanto outros eram engolidos pelo ciclope. Ulisses distraía-o enquanto os homens sobreviventes punham o maior número de sobreviventes nos navios com a seguinte ordem de prioridade: família real, crianças, mulheres, homens.

    Alguns cavaleiros vieram do palácio com espadas e lanças, que distribuíram pelos homens mais valentes.

    Euclides espetara-lhe uma lança na barriga e, num salto, Ulisses decapitou-o.

    Todos se dirigiram aos barcos rumo a Ítaca, onde se instalaram durante uns meses, deixando alguns homens em Pilo, para reconstruírem a cidade.

  

Lara Rodrigues, Nº14, 6ºD

 

     

 

 Quando começou o banquete foram todos para dentro do castelo, exceto alguns dos guardas que ficaram cá fora a vigiar. Ulisses, que também estava dentro do castelo e queria fugir, tinha pedido para ir à casa de banho com o intuito de  aproveitar para fugir, mas o problema foram os guardas que o viram e o aprisionaram.

Passados alguns dias Ulisses descobriu uma abertura pequenina nas algemas que lhe tinham colocado. Na cela avistou um pau pequeno e quis experimentar para ver se dava para abri-las. Qual foi o espanto dele ao ouvir as algemas a fazerem``trim´´e a caírem no chão. Estava prestes a fugir quando viu um guarda à porta. Então pensou numa maneira de sair dali e meteu-a em prática.

Mais à frente encontrou outros guardas, esses tinham pistolas, então ele agarrou nelas e matou-os. Para conseguir sair discretamente pegou num mapa e para desviar as atenções libertou um touro e foram todos atrás dele.

Foi assim que, pelas traseiras, saiu da ilha de Pilo e foi para Ítaca.

  

Maria Beatriz Fernandes 6ºD Nº15

 

1 comentário

Comentar post